Thursday, 4 December 2014

Uma Carta de Desculpas



Eu gostaria de pedir desculpas para uma das minhas melhores amigas. Percebi que eu não estava sendo uma boa amiga para ela. Esses são uns exemplos. Se preparem... são ruins!

Quando ela compartilhava seus sonhos preciosos comigo, ao invés de incentivá-la, eu a enchia de medo e dúvidas. “Amiga, você não está sonhando alto demais não?” eu perguntava. “Será que você está apta para isso? Tome cuidado! Talvez isso não serve para você, amiga... melhor esquecer!” Bom, eu pensava que estava salvando-a de desilusão, mas eu estava matando seus sonhos.

Quando ela me contava dos seus planos para mudar, dentro de mim, eu ria porque não acreditava. Num tom duvidoso, eu lembrava ela das outras, muitas, vezes que ela tinha tentado mudar e não havia conseguido. Por que seria diferente dessa vez? Eu pensava que eu estava ajudando-a a ser realista, mas na realidade eu estava mantendo-a presa ao seus erros.

Quando ela tentava dar a sua opinião, eu aconselhava ela a ficar quieta. “Melhor não” eu dizia. “E se você disser algo que lhe envergonhará? Você nunca sabe o que os outros vão pensar. E se lhe julgarem mal? Melhor ficar quieta, amiga”. Pensei que estava poupando-a vergonha, mas eu estava calando a sua voz.

Quando ela errava, eu fazia questão de relembrá-la dos seus erros. Pensava que, se ela nunca mais os esquecesse, nunca mais iria cometer os mesmos. Todos os dias eu apontava suas falhas. Pensava que eu estava ajudando-a a ser uma pessoa melhor, mas eu estava fazendo-a pagar por algo que seu Senhor havia já pago por ela.

Depois de muitos anos desse mau tratamento da minha parte, ela finalmente deu basta nisso e teve a coragem de me contar como se sentia. Ela me falou que se eu quisesse continuar ser a sua amiga, eu precisava mudar o jeito em que eu tratava ela, pois ela não iria mais aceitar aquele tipo de tratamento. Ela merecia melhor. Ela estava finalmente elevando seus padrões e qualquer uma que se considerava a sua amiga, tinha que tratá-la com dignidade e respeito.

Quando eu a ouvi dizer isso para mim, eu fiquei muito chocada. Eu finalmente percebi o quanto eu tinha sido uma amiga má e negativa. Fiquei triste ao perceber o quanto eu magoei ela. Minhas intensões com ela eram boas, mas o que eu fazia era horrível. Mas, embora que eu me sentisse mal quando soube como ela sofria por causa de mim, eu também aprendi a respeitá-la. Eu a conhecia por muitos anos, mas parecia que eu estava a vendo pela primeira vez. Parecia que uma nova mulher estava na minha frente... a mulher perante de mim intendia seu valor! Que lindo!

“Querida amiga”, eu lhe disse com um coração partida: “Me desculpa! Desculpa que eu não lhe respeitei. Desculpa que lhe magoei com as minhas palavras e más decisões. Desculpa que lhe ofendi tantas vezes. Desculpa que não acreditei em você. Desculpa pelas coisas que vem tão naturalmente para mim, mas que lhe causaram muita dor... por favor, me perdoa!” Esta carta de desculpa é para minha melhor amiga... Moti Bernardino! Sim, é para mim mesma!

Esse ano eu trabalhei no segundo relacionamento mais importante na minha vida, depois do meu relacionamento com Deus... o meu relacionamento comigo mesma. Aprendi a me valorizar. A ficha finalmente caiu. Levantei meus padrões. Decidi a me tratar com a mesma dignidade e respeito que eu tratava os outros. Nunca diria para os outros a metade daquilo que eu diria para mim mesma. Então, por que aceitar dizer aquelas coisas para mim mesma?

Agora é sua vez. Como tem sido seu relacionamento consigo mesma? Talvez quando leu a minha carta, você pensou: “Como ela poderia ter sido tão malvada com a sua amiga?” Mas você aceita ser malvada consigo mesma. No fundo do fundo, o que você pensa de si mesma e fala para si mesma? Eleve seus padrões e constrói um relacionamento melhor consigo mesma!

Lembre-se, você vai estar consigo mesma o resto da sua vida. Você não acha que deveria se tratar bem? Se tem alguém que você valoriza, cuida bem e trata melhor que todos, essa deve ser você mesma!

Tenho sentido falta de dividir minhas experiências com vocês! JJJ


Um abraço cheio de amor!

2 comments:

  1. Muito boa essa palavra! Muitas vezes não temos coragem de privar os outros das coisas, mas privamos a nós mesmas! Ameei!

    ReplyDelete
  2. Sabe que sua experiência fez me relembrar o que passei e o quanto Deus já agiu em mim, já fiz isso, era uma tarefa que tinha que pedir perdão a alguém que tinha mágoa, e me analisando não tinha de ninguém, nem mesmo sabia de alguém que tinha algo contra mim, mas aí Deus me fez ver com quem eu realmente tinha que me reconciliar, comigo mesma, fui na frente do espelho, e pedi perdão por cada coisa horrível que já tinha e falado a mim mesma, como prosseguir tendo ferido tanto aquela que estava ali na minha frente, entendi nesse dia porque não conseguia amar como deveria aos demais, não amava nem a mim quanto mais ser capaz de amar outros, esse dia foi o meu marco, tive que superar a tentação de agir da mesma maneira mas hoje posso dizer, deu certo, a partir do momento que reconheci e determinei que não me trataria mais do mesmo jeito, pude mudar, aprender a me valorizar, e amar as demais pessoas com o mesmo que estava recebendo de Deus :-)
    bjnhsss Moti

    ReplyDelete